2.24.2013

Picus Mirandulensis

Hoje 24 de Fevereiro de 2013 celebramos o 550 aniversário do nosso eterno firmamento, de Giovanni Pico della Mirandola. Daqui a 31 anos celebraremos o 550º aniversário da sua morte, e tentaremos no entretanto atingir um centésimo do conhecimento e sabedoria renascimentais que em tão breve espaço de tempo ele atingiu. (A minha devoção vem de longe: a sua Oratio de Hominis Dignitate foi o primeiro texto que li integralmente em Latim; foi também o primeiro texto latino que me propus ensinar. Em Florença a única peregrinação vera foi o seu túmulo, próximo ao de Poliziano.) Deixou-nos uma imagem de sabedoria e de coragem que poucas outras figuras ditas 'intelectuais' igualaram; ofereceu ao mundo o combate interior de Athenas e de Jerusalém, duma crença na graça da Antiguidade emparelhada com a sua Modernidade que a todos de longe nos ultrapassa em rigor & amplitude & sonho. O Aquiles de Florença, ou então é Aquiles é o Pico de Ílion. Salveas, amice domine frater.


2.05.2013

Breve História do Mithraísmo Contemporâneo

Erudition

esquece as questões profundas. pergunto-te
apenas com quem queres falar,
para quê tanto esforço? com os mortos
recomendo o jogo do copo. a revolução
para mortos também. extraímos o sangue
dum corte de papel num incunábulo
e ficamos a saber mais do que se o
lermos. corta. neste ponto da história
apocalýptica o realizador
interrompe as gravações e diz
tudo de novo. desta vez mais
pecado. audiências. como dizia o Benjamim, filho
danjos, tudo igual,
apenas algo imperceptivelmente diferente. o deus de Noé,
o deus de José.
e entre nós e eles um pacto
de sangue. depois da guerra as doações
na Alemanha dispararam. nos hospitais houve abundância.
fizeram falar os mortos: dizem ao ultramontano
Akhenaton: no teu tempo havia
línguas mistério. (antes
fosse.) da República tínheis apenas
tractatus!


Pain

ou é homem ou juiz. isto aplica-se também a conceitos,
às theophanias da Iónia, aos professores,
às profissões de fé, há mesmo quem diga
à mýstica. da minha parte, e confessando-me partidário
mais da posteridade que da antiguidade,
afirmo solenemente que um língua
como o copta é uma viragem errada na história.
de todas, ficamos talvez com Niceia,
e mesmo assim não sei.
o limite é porém fácil de definir.
se está em Grego é bom. isto vale
para os vários Gregórios (Grandes
ou não - e variações em ν), vale
para cursos universitários, vale
para todo o pedantismo, vale
para a dívida. ora, esta última
foi claramente um passo
em falso, sangue emprestado
de artéria em artéria desde Trento até
à Athenas nossa matriarca, do Loyola
aos Papandreou. Como pedido elenco
alguns dos alvos da faca: Charlemagne,
a língua e os reis franceses, o ramo racional
da filosofia continental, a divisão dos poderes,
os deuses. (Aqui fala-se especificamente de Zeus,
o deus grego da ilha de Creta, o deus do dia, luz da luz,
o deus de Ezra Pound, que assumiu a forma
dum touro.)
Colocavam-se sob uma grade
e o touro sangrava sobre
o corpo do iniciado. Durões.
Conta-se que o Constantino também
tomava disso. Depois claro, é de pequenino:
uns santos daqui, uns rituais daqui, e soon enough
sacrum furtum é um nome demasiado elegante.
mas os toureiros voltaram! de Assis
a Ravenna, última capital do Império,
a Barrancos. Por esta altura
já o Credo estava em piloto automático.
Patres piissimi, não percebeis
que o Christo é um minotauro
por compreender, a Virgem a lasciva
Pasiphaë. No fecho da banca da República,
a cotação apophática em alta.
Na praça de touros reunem-se
theólogos, juristas, animais nobres,
heróis. Os auspícios apontam para precisarmos
de direitos dos deuses. São
Francisco, por exemplo,
que tipo de sangue terá tido? Hermes
o Trimegisto O- por certo (Ficino dixit).
O Sangréal é isto. Nas veias dos Mithras,
das Troikas, da usura da l'art pour l'art,
o espírito coagula o fogo.


Light

Pai Sol!, que fazes o sangue
correr com saúde, Pai Sol!,
em quem os theólogos
tropeçaram, é verdade então
o que ouvimos, que a virtude
nos corre nas veias
a contra-mão? vós ouvistes dizer
não percebemos
se nos está a julgar se nos está
a absolver se está
a troçar de nós. mas eu digo-vos
dos gentios o sacro pecado
repitam-no todos os dias:
não conseguir deixar nada
por amar. assim sendo,
fa che tu m'abbrace. a ira
dura até começares
como os gregos começaram
a dividir a alma em três -
a perseguir o profeta
disfarçado do que diz
Não. ele carrega contra nós
nós saltamos e quando largamos estamos
no zénite da festa:
vamos e prestamos culto em Corintho
no templo de Aphrodite. mas a fé,
essa água dura. és contra, eu sei, és
contra. contra
tyrannos, a democracia
dos vivos, a tauromaquia
de Knossos, contra
mundum. todos
te chamam, falam-te a língua
da metaphysica specialis,
a língua comum da república, reconhecem-te
Heliotrópico. E proíbem
o recordar. Ob
edeces. Iram.
Cícero a preto e branco
despede-se dos amigos por nascer
beija-lhes os lábios cinzentos.
Mas tu? Que nem
soubeste lembrar?
Sorri-nos
a língua é um girassol triturado num moinho.
Será ele quem o proíbe? O orador
sem oração. Oremus:
Para a Grécia tenho
eu o pulso aberto.

Platão

andou a enganar-me a desorientar-me durante todos estes anos! andou a troçar de mim!